Como os Batidos da Oriflame Ajudaram na Perda de Peso de Matt Pohl: Chef de Cozinha de Igelosa

Matt Pohl: Chef de Cozinha de Igelosa

“Visitei Igelosa pela primeira vez no inverno de 2007. Tinha 27 anos e pesava mais de 150 kg. Estava a precisar de ganhar o controlo sobre a minha saúde. O meu nome é Matthew Stewart Pohl e esta é a minha história”.

A minha infância


Cresci numa família Americana suburbana. Os meus pais trabalhavam muito, mas sempre se asseguraram que eu e os meus dois irmãos mais velhos recebíamos amor, atenção e os cuidados de que necessitávamos. Em criança eu não tinha um excesso de peso exagerado, mas era considerado “forte”. Os meus irmãos, por outro lado, sempre foram magros e atléticos.

No 10º ano, pesava cerca de 105 kg. Durante o secundário joguei futebol americano, o que me permitia fazer alguma atividade física. Além disso, também me dava a desculpa para comer o que bem me apetecia. Durante os quatro anos do secundário, o meu peso continuou a aumentar, mas convenci-me que como conseguia fazer o treino intenso de futebol, estava em forma. Quando conclui o ensino secundário, ganhei 25 kg.

Quando fui para a universidade, a minha alimentação manteve-se, mas parei de fazer exercício físico. Quando terminei a licenciatura em jornalismo, o meu peso rondava os 140 kg. Enquanto procurava trabalho na minha área, comecei a trabalhar numa cozinha, que se veio a tornar a minha paixão, o que me levou a inscrever numa escola de culinária, para ser chef de cozinha. Trabalhar numa cozinha é stressante, e nunca tinha tempo para me sentar e fazer uma refeição normal. Em vez disso, estava constantemente a petiscar ao longo do dia, principalmente doces e refrigerantes. Acabava o trabalho muito tarde e estava sempre com fome. Nesta altura, já não assumia a responsabilidade pelo meu peso e pela minha saúde


A primeira visita a Igelosa


A minha mãe trabalha para uma empresa Sueca de medicina, e em 2007 ela perguntou- me se eu queria viajar com ela até Igelosa, onde ela estava a fazer um curso de transplante pulmonar. Ela conhecia o Professor Stig Steen pessoalmente, e ele tinha-se oferecido para me consultar. Vi o convite dela como uma oportunidade de visitar a Suécia, a consulta que ela me arranjou estava no fim da minha lista de prioridades. O meu maior medo era que os médicos me dissessem aquilo que eu já sabia, quão mau era realmente o meu estado de saúde.

Matt Pohl em 2005
Matt Pohl e os Pais em 2005
Em Igelosa, fiz análises ao sangue, entre outros exames. Todos os testes mostraram os maus resultados previsíveis. Subir à balança foi a pior parte. Pesava tanto que a balança, que vai até aos 150 kg, não mostrava o meu peso total. Para mim, isto foi uma verdadeira “bofetada”, dando-me a motivação de que necessitava para começar a fazer mudanças.

Antes de regressar aos Estados Unidos, fui à consulta com o Professor Steen, para discutir as mudanças às quais eu deveria dar prioridade. Ele disse-me para comer o máximo de legumes possível, um kg por dia, se possível, e de preferência crus, para ficar saciado. Além disso, também devia tentar caminhar durante 30 minutos, todos os dias. Ele sugeriu-me alguma literatura e deu-me amostras do Batido Natural Balance, que estava a ser desenvolvido em Igelosa. Este produto em pó foi inicialmente desenvolvido para pacientes em lista de espera para um transplante de pulmão, no entanto também mostrou resultados promissores na perda de peso, quando utilizado para combater a fome, entre as refeições. No final da semana, Stig também me convidou para regressar a Igelosa, como paciente num estudo.


Fazer as mudanças


Pouco depois de regressar a casa, voltei ao mesmo estilo de vida pouco saudável que tinha anteriormente. Foi difícil fazer as mudanças em casa, onde nada mais parecia ter mudado. Rapidamente decidi aceitar o convite de Stig, e fui para a Suécia, para que pudesse realmente ter a oportunidade de mudar.

Regressei a Igelosa em setembro de 2007 e fui imediatamente instruído a concentrar todo o meu tempo e energia nas mudanças que precisava de fazer. Antes, pensava que para perder peso, era preciso fazer maratonas, sacrificar todos os meus pratos preferidos e que era necessário estar sempre com fome. Em Igelosa, aprendi que tinha que começar por fazer pequenas alterações em várias partes da minha vida. Ao concentrar-me em diversas coisas pequenas, seria capaz de criar hábitos novos e saudáveis, que eu pudesse continuar a ter para o resto da minha vida.

A primeira coisa que fiz foi adicionar uma atividade física ligeira na minha rotina diária. De manhã e à noite, fazia uma caminhada de trinta minutos, todos os dias. Usava um contador de passos para controlar a quantidade de passos, e estabeleci objetivos relativamente ao número de passos que devia andar por dia. No início, subir um lance de escadas sem perder o fôlego era difícil, mas pouco depois, as minhas caminhadas ficaram mais longas e os meus objetivos passaram a ser mais elevados. Mais tarde, passei a fazer diferentes tipos de exercício físico, mas no primeiro ano, a única atividade física que fazia era caminhar.

Matt Pohl - Alimentação Saudável
Também mudei a minha forma de comer. Percebi que não tinha que evitar completamente os alimentos que eu adorava, mas, em vez disso, encontrar formas mais saudáveis de incorporá-los na minha alimentação. As minhas refeições começam sempre com uma salada, para começar a preencher o estômago com legumes pobres em calorias e ricos em nutrientes. Adicionei mais legumes saudáveis, de diversas cores, no meu prato principal e substitui massa e arroz brancos, bem como batatas, por alternativas integrais. Também tentei incluir fontes de proteínas mais saudáveis, tais como o feijão, as lentilhas, frango e peixe, e evitei as carnes processadas e as carnes vermelhas.

Também bebia o Batido Natural Balance ao longo do dia. Este tinha sido então lançado pela Oriflame, tal como as cápsulas Ómega 3 e os multivitamínicos, que eu também tomava. Todos os dias, tomava batidos entre as refeições, juntamente com uma peça de fruta ou alguns frutos secos, fazendo assim snacks saudáveis. Isto ajudou-me a evitar a vontade de consumir açúcar e a sentir-me satisfeito. Se eu não tomasse o batido entre as refeições, ficava geralmente com muita fome, e era mais difícil controlar a fome mais tarde, durante as refeições. A partir do momento em que os médicos de Igelosa me pediram para anotar tudo o que eu comia num caderno, aprendi a prever melhor quando é que eu ia ficar com fome. À noite, em vez de recorrer aos doces, como fazia antigamente, fazia simplesmente um batido com leite magro.

Depois de um ano como paciente do estudo em Igelosa, ofereceram-me uma posição de chef de cozinha em Igelosa. Além de preparar e servir refeições aos nossos pacientes e investigadores convidados de todo o mundo, uma parte importante do meu trabalho é desenvolver receitas novas e saudáveis. Também posso partilhar as minhas experiências com os pacientes e ajudar a motivá-los a fazerem mudanças nas suas vidas.

Desde o dia em que cheguei a Igelosa, perdi 60 kg. Os resultados das minhas análises também mudaram para melhor. Uma divulgação da alteração do meu estado psicológico ao longo dos três anos, bem como referências científicas, encontra-se descrita no livro Igelosa – Origem da Wellness, do Professor Stig Steen (Oriflame Sweden AB, 2012).

Antes de vir para Igelosa, pensava que o meu destino estava traçado e que já era demasiado tarde para fazer algo pela minha saúde. Se me tivesse perguntado na altura, ter-lhe-ia dito que os resultados que alcancei até hoje eram impossíveis. Mas descobri que a mudança é possível!

Se ainda me sinto tentado? Sim. Mas, aprendi a lidar com as tentações e a voltar ao caminho certo. As nossas vidas são constantemente preenchidas com oportunidades. Todos os dias temos a oportunidade de viver de forma saudável e de tomar melhores decisões por nós próprios. Cada momento traz-nos uma nova oportunidade de fazermos uma escolha melhor.

Fonte: oriflame.pt

Sem comentários